COB anuncia meta do Brasil ficar entre os Top 10 em 2016

25/09/2010 09:20

 


O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) definiu como meta para os Jogos Olímpicos Rio 2016 o país ficar entre os dez primeiros do mundo no número total de medalhas. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, dia 20, pelo presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, ao presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia realizada no Palácio do Planalto, em Brasília, que contou com cerca de 70 jovens atletas que disputaram os Jogos Olímpicos da Juventude Cingapura 2010. Para ficar entre os Top 10, o planejamento do COB e das Confederações Brasileiras Olímpicas visará a ampliação para cerca de 13 modalidades com conquistas de medalhas, superando a média histórica de oito que o Brasil vem alcançando. 

"A conquista do Rio 2016 impõe a todos um desafio ainda maior, e por isso o COB já está direcionando o trabalho diretamente no aprimoramento das condições de preparação de atletas e equipes com chances reais de conquistar medalhas em 2016, com a anuência das Confederações. Para isso, é de fundamental importância o apoio de mais recursos do Ministério do Esporte", afirmou Nuzman, que esteve acompanhado no evento de presidentes e dirigentes das entidades.

Falando diretamente ao presidente Lula, Nuzman agradeceu o empenho pessoal do presidente e o apoio ao esporte nesses oito anos de governo. "O senhor é o presidente da história que mais fez pelo esporte brasileiro, inclusive criando pela primeira vez o cargo de Ministro do Esporte. O senhor transformou o esporte brasileiro, dando as condições necessárias para uma boa preparação de nossos atletas e equipes. Estamos trabalhando para ficar entre os dez primeiros países no número total de medalhas no Rio 2016. Isso é o mínimo que podemos fazer em agradecimento e reconhecimento ao trabalho do senhor", afirmou Nuzman. Na oportunidade, o presidente Lula recebeu o título de grande benemérito do COB e ganhou uma bandeja de prata das mãos dos atletas David Lourenço (boxe) e Flavia Gomes (judô), medalhistas em Cingapura. 

O presidente Lula agradeceu a homenagem e disse que o Estado tem o dever de fazer do esporte uma questão de governo. "No dia 31 de dezembro sairei com a certeza de que fizemos muito pelo esporte, mas também com a certeza de que muito ainda precisa ser feito. Precisamos colocar o esporte como matéria escolar e motivar as crianças e jovens e ocuparem o tempo ocioso correndo, jogando e lutando. Para atingirmos a plenitude, precisamos profissionalizar o esporte, e nisso o voleibol tem muito a nos ensinar. Antes entrávamos em quadra com medo dos japoneses, dos russos. Hoje, eles é que tremem quando nos vêem. Vamos fazer a nossa parte. O Estado brasileiro tem esse dever", afirmou o presidente. 

O superintendente executivo de esportes, Marcus Vinícius Freire, explicou que o COB já vem realizando, entre outras ações, um acompanhamento individualizado de atletas e equipes, com a oferta de suporte em várias áreas das Ciências do Esporte, tais como fisiologia, biomecânica e fisioterapia entre outras, além de maior apoio às equipes técnicas dos atletas. "Nosso foco será a conquista de medalhas em 2016. O trabalho de base e de desenvolvimento das modalidades continuará sendo feito pelas respectivas Confederações Brasileiras Olímpicas", explicou Marcus Vinícius. 

Ainda de acordo com o superintendente técnico, para Londres 2012 a meta é superar o total de 15 medalhas conquistadas em Pequim 2008. "Neste momento temos esse duplo planejamento, para oferecer as melhores condições aos atletas visando aos Jogos de Londres 2012 e ao mesmo tempo já preparar a representação do Brasil no Rio 2016. Hoje, os investimentos dos recursos, independente da fonte, já obedecem a essa lógica para 2012 e 2016", afirmou. 

Em Pequim 2008 o décimo lugar no total de medalhas ficou para a Ucrânia, com 27. O Brasil ficou na 17ª. colocação, com 15 medalhas. 

Jogos Olímpicos da Juventude Cingapura 2010

Durante a cerimônia no Palácio do Planalto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu cerca de 70 atletas da jovem delegação que disputou os Jogos Olímpicos da Juventude Cingapura 2010, realizados em agosto. O evento reuniu 3.600 atletas entre 14 e 18 anos de 205 países, em 26 modalidades. A chefe de missão em Cingapura, Adriana Behar, esteve presente à cerimônia. Duas vezes medalhista olímpica no vôlei de praia, em Sydney 2000 e Atenas 2004, Adriana foi a primeira mulher a chefiar uma delegação olímpica do Brasil.

Na primeira edição do evento o Brasil conquistou um total de sete medalhas, sendo três de ouro, três de prata e uma de bronze. O Brasil foi representado por 81 atletas em 20 modalidades. O país participou de 33 finais olímpicas, sendo 15 masculinas e 18 femininas, em 14 modalidades diferentes e mais de 60% dos atletas do Time Brasil participou de finais em Cingapura.

O COB montou um planejamento especial para a preparação do Time Brasil para Cingapura. Além do suporte a treinamentos e participações em competições pré-evento, a entidade organizou um seminário em São Paulo, onde passou todas as informações sobre os Jogos para atletas e treinadores. Além disso, reuniu boa parte da delegação para um período de aclimatação em Dubai.

Além das 26 modalidades esportivas em disputa, os Jogos Olímpicos da Juventude apresentaram um extenso programa cultural e educativo, que introduziu de forma lúdica os jovens atletas no Olimpismo e os valores olímpicos, além de sensibilização para questões importantes, tais como os benefícios de um estilo de vida saudável e a luta contra o doping. 

As novidades dos Jogos Olímpicos da Juventude também se mostraram presentes nos esportes, como no basquete 3 x 3, uma das sensações do evento, nos revezamentos entre países, na canoagem cabeça a cabeça, em equipes mistas de homens e mulheres e em inovações tecnológicas, como o uso de laser nas provas de tiro do pentatlo moderno e sensores sem fio na esgrima. 
Os próximos Jogos Olímpicos da Juventude serão em Innsbruck, na Áustria, em 2012, que sediará as competições de inverno. Já a segunda edição dos Jogos Olímpicos de Verão será realizada em 2014, em Nanjing, na China.

Fonte: https://www.cob.org.br