Entrevista exclusiva Para o site da FTC, com Milton Iwama que ja foi um dos maiores atletas do Brasil.

07/09/2011 00:18

 

 

FTC Quando começou a praticar o taekwondo? 

Milton Iwama - Comecei a treinar em 1980 com 13 anos idade na cidade de Santo Andre com o professor Jose Luis de Castro Neto (apelido - Ceara). 

 
 
FTC - Porque começou a treinar?
Milton Iwama - Havia entrado de férias escolares e procurei atividade para esse período.

 
FTC - Quais foram suas influencias e ídolos no taekwondo?
Milton Iwama - Desde o inicio fiquei impressionado com as varias técnicas de chute (devido à flexibilidade exigida). Em competições, gostava muito de ver os irmãos KIM (Mestres Yeo Jun e Yeo Jin) que eram muito raçudos e o Mestre Mauro Hideki Fujiyama
que demonstrava uma técnica muito refinada, alem de ser muito flexível.

 
FTC - Quais seus principais títulos ?

 

Milton Iwama -

7 vezes  campeão brasileiro.

8 vezes campeão paulista

3 participações em US OPEN - ouro 94, prata 95, bronze 96 
4 participações pan-americanos - bronze 88, prata 92, prata 94
2 jogos pan-americanos -cortado em Indianapolis 87 e cortado em Mar Del Plata 95

 

FTC - Fala um pouco da sua vida atual?

Milton Iwama - No período de competições morava em campinas-sp onde tive uma academia. Em 1998 fui para os USA a convite de um mestre da cidade de Castro Valley(região de Oakland) na Califórnia para dar aulas. Esse convite apareceu porque integrei uma equipe que fez uma serie de exibições nos Estados Unidos, Brasil, Argentina, Paraguai e Chile. Fiquei 7 anos por la e voltei em 2004. Me estabeleci em Londrina-paraná onde trabalho com embalagens de papelão. Não é bem o que gostaria de estar fazendo, porem, hoje a prioridade é ter condições de sustentar  e proporcionar um pouco de conforto à minha família.

 

FTC O que mais tem saudades do tempo que competia?

Milton Iwama - Alem de competir, tenho muita saudade das amizades que fiz e lugares que visitei ao redor do mundo. 


 
FTC - O que foi o taekwondo na sua vida?
Milton Iwama – Taekwondo sempre será e estará na minha vida. Atualmente, minha luta é constante, sem rounds definidos para terminar (termina no fim de minha jornada). Hoje, perco e ganho a todo o momento no dia a dia. Todo momento aparece um desafio diferente e minha experiência no esporte me auxilia na superação de cada obstáculo. As vezes ganho, as vezes perco e sigo em frente com minha família(esposa e 4 filhos).

FTC - Quais as dificuldades da época?
Milton Iwama Minha época foi a fase que começou a aproveitar o sofrimento da primeira e segunda geração do taekwondo  brasileiro. Sou da geração que não apresentou tkd para o Brasil, mas não sou da geração que aproveita dos benefícios atuais (apoio de governo, reconhecimento dos meios de comunicação, planejamento técnico, programação de competições, etc). Era cada um por si. Tive apoio de meus pais(o que agradeço profundamente), de seguidores e alguns apoios isolados. Faltava treinamento coletivo, faltava intercambio técnico e treinavamos sem saber se conseguiriamos ir aos campeonatos. Íamos a competições nacionais e internacionais sem saber onde ficar, comer, lutar, treinar, etc. Não sei como conseguíamos.

 

FTC - Como vê o TKD hoje ter mais verba para os atletas disputarem eventos internacionais?

Milton Iwama - Antigamente treinávamos e até o ultimo momento não sabíamos se íamos ter condições de participar das competições. Inúmeras vezes ficamos para trás. Ficou mais tranqüilo para o atleta atual se dedicar e se preparar. A única preocupação é treinar. Hoje as equipes se reunem para treinos, avaliações, fazem intercambios internacionais, amistosos. Até o atleta reserva da categoria viaja com a equipe... isso é muito bom para o desenvolvimento técnico.

 

FTC - O que você sentiu com a conquista da primeira medalha olímpica do Brasil no taekwondo com a Natalia Falavgna?
 
Milton Iwama - vontade de estar lá. Vontade de ser eu... egoísmo da minha parte queria ter tido as mesmas condições que ela teve e tem. Quem mandou eu nascer 15 anos antes, rssrsrsrsrsrs. Parabéns para ela que aproveita o beneficio (ainda que o tkd brasileiro esteja um pouco desorganizado). É uma atleta que sabe o que quer e têm pensamento forte rumo aos objetivos.
 
 
 
FTC - conselho para todos os atletas cearenses que um dia querem esta no pódio?
Milton Iwama - Todos devem se nivelar pelos melhores... Hoje não adianta ser bom. Ninguém espera menos que "BOM" de um atleta de seleção. Tem que ser mais que bom e se dedicar(aproveitar melhor) mais que um atleta bom. O atleta melhora a partir do momento que se conscientiza que ser BOM já não é mais suficiente.

 
FTC - Considerações Finais?
Milton Iwama - Agradeço a oportunidade de expressar meus pensamentos. Fui muito censurado em minha época de atleta. Falava e fazia muito. Hoje ainda poderia falar muito,mas não faço nada pelo tkd.Fui cortado de algumas seleções. Hoje posso dizer que em minha época me tiraram (favoreceram outros) por estar a muito tempo na seleção de meu estado. Queria ter ganho10 estaduais e nacionais seguidos. Cheguei a 8 estaduais seguidos(86 a 93) e 7 nacionais(86,87,88,89,91,92 e 93). No ano de 1990 desisti de viajar na porta do avião devido a meu trabalho. Tenho um carinho enorme por varias pessoas dentro do TKD. Estaria cometendo um erro citar nomes, pois, esqueceria de alguém. Tenho certeza que as pessoas que lerem esta saberão que me refiro a elas. Foram pessoas que viajaram, acompanharam, vibraram, torceram, orientaram, riram, choraram, ensinaram.
 
Obrigado Mestre Ronin e parabéns por tudo que esta fazendo para o desenvolvimento do TKD no Brasil.
 
Milton Iwama