Entrevista Exclusiva para o site da FTC. Com o " BAD BOY do Taekwondo". O ex-atleta da Seleção Brasileira Carlos Costa.

22/04/2012 17:23

Mestre Carlos Costa.

 

FTC Quando começou a praticar o taekwondo e por quê? 

CC.- Comecei a treinar em 1986 na academia de um amigo meu, eu treinava capoeira na época e meu amigo me chamou para assistir uma matéria que seria feita com a globo,

Chegando lá fiquei maravilhado com os movimentos plásticos do TAEKWONDO, já no dia seguinte lá estava eu pedindo para fazer a minha primeira aula de taekwondo, me apaixonei pela modalidade e nunca mais consegui larga. 

FTC - Quais foram suas influencias e ídolos no taekwondo?


CC.- Acho que a primeira foi do meu amigo de infância (Milton Pagnoni), que me levou a treinar o TKD, depois do meu primeiro professor Ronald Tanimoto, quando era aluno ouvia falar muito do Fabio Goulart, Milton Iwama, meu professor tinha sido técnico do Brasil na copa do mundo da antiga Iugoslávia, e ouvi historia sobre a luta do Alison Iamaguttii, e o mais legal disso tudo foi que logo eu estaria perto de todos esses ídolos...uma historia que gostaria de compartilhar é que em 1996 quando teve a copa do mundo do Brasil estava tudo certo para eu ir para o Rio de Janeiro assistir o evento, mas como eu tinha acabado da abrir a minha academia a minha sócia disse que eu não poderia ir no evento e deixar meus alunos, eu não me conformei e disse para ela que ela não tinha idéia da importância desse evento e eu me lamentava e disse que nunca mais iria ter uma oportunidade de ver aquele atletas novamente lutando, então ela me disse o seguinte: logo, logo você vai estar do lado desses atleta, lutando, é só acreditar, pensei comigo ela está louca da cabeço, e isso aconteceu, no ano seguinte eu estava embarcando para a mesma competição(copa do mundo) que seria realizado no Egito, com a seleção brasileira ao lado de grandes atletas(André Yamagutti, Belmiro Giordane, Marcos Pereira) e conquistando minha medalha de bronze( no pódio com atleta da Coréia, Irã e Egito)...estava ali realizando um sonho que imaginei que nunca seria possível.

Hoje tenho como ídolo no TAEKWONDO alguns atletas que tive o prazer de lutar com eles o Iraniano Hadi (tri-campeão mundial e campeão olímpico) e Steve Lopes (bi-campeão olímpico e penta campeão mundial). 


FTC - Quais seus principais títulos?


CC - .Sou um atleta realizado, conquistei muita coisa boa e com a estrutura que tínhamos acho que consegui alem das expectativas, só para lembrar quando fui participar da copa do mundo do Egito(97) eu tive que vender uma moto(rd 350) que tinha acabado de compra(era o meu sonho, essa moto) para poder participar da competição que fui medalha de bronze, no pan-americano de Aruba(00) comprei minha passagem na ultima hora(parcelado) peguei um cartão de credito para fazer compras no supermercado para comprar comida para levar, e sem dinheiro no bolso nem para comer, embarquei para a minha conquista da medalha de ouro(o segundo Brasileiro a conquistar esse título), essa viagem foi marcante ainda mais por ter como parceiro o atleta da região Edimilsom Filho.

Meus principais títulos:

10 vezes campeão estadual

9 vezes campeão brasileiro (recordista)

Campeão de mais de 15 seletivas nacional para eventos internacionais

Campeão da copa do Brasil (00)

Campeão pan-americano Aruba (00)

Campeão sul-americano Paraguai (96)

Melhor atleta da America do Sul (Paraguai 96)

Campeão dos jogos sul-americano do Brasil (02)

Bronze nos jogos sul-americanos Equador (98)

Bronze no primeiro Ibero Americano da Espanha (03)

Bronze no pan-americano de Santo Domingo (04)

FTC - Fala um pouco da sua vida atual?

 

CC. - Sou uma pessoa bem atarefada, tenho minha academia com várias modalidades (taekwondo-infantil e adulto / Jiu-jitsu / Muay thai / Musculação / Ginastica / Pilates e Tatoo ), como não tinha tempo para estudar quando era atleta, consegui agora conciliar  meus horários para fazer faculdade, estou no 5° período de educação física na Unip, sou diretor da atlética da Unip na modalidade de taekwondo, coordeno o taekwondo na cidade de Santa Bárbara D´Oeste que tem o apoio da prefeitura municipal e secretária de esportes, sou o responsável para equipe de alto rendimento da cidade de Americana, supervisiono o taekwondo na cidade de Nova Odessa, organizo vários evento junto a prefeitura de Campinas(virada esportiva, apresentações e o BAD BOY), organizador do BAD BOY OPEN DE TAEKWONDO, além de ter um tempo para minha família.

FTC - Foi difícil parar de competir?

 

CC. - Quando comecei com a ideia que eu iria parar de competi foi muito difícil para mim, parecia que estavam me tirando algo, sem falar para ninguém eu decidi que os jogos abertos de 2006 seria o ultimo evento que eu lutaria, eu estava muito triste, chorava quieto e escondido, quando falei para o meu mestre Carlos Negrão que pararia, ele me pediu para segurar mais um pouco, acabei ouvindo ele e acho que me fez muito bem, pois ainda consegui alguns títulos como o recorde brasileiro e quando parei de verdade já estava mais preparado para a situação.

FT C- O que você acha de ser relacionado com o bad boy do tkd? E como surgiu esse apelido?

 

CC -.Estou com o apoio da BAD BOY desde 1997, quando fui para a copa do mundo do Egito que me consagrei 3° do mundo, acho sou um dos poucos sobreviventes daquela leva de atletas patrocinado pela BAD BOY (rs), tenho um carinho muito grande pelas pessoas que conheci lá dentro(os que estão e os já passaram por lá)...acho que meu estilo de luta era muito agressivo eu era guerreiro, gostava de fazer boas lutas de levantar o publico, isso mexia comigo, nunca desisti de uma luta, quando alguém me vencia, tinha que realmente merecer, acho que isso acabou marcando com o nome BAD BOY, acho que realmente acabou se encaixando mesmo, ser um BAD BOY de verdade é muito mais que ter uma cara feia...é ser um atleta que supera suas limitações.


FTC O que mais tem saudades do tempo que competia?


CC. - Para falar a verdade de tudo...kkk...eu adorava treinar, viajar, estar dentro das quadras, o que me conforta é ainda estar ligado a competição, estar com os atletas e poder contribuir de alguma forma, outra coisa que me satisfaz é que fiz de tudo para consegui minhas conquistas, sempre dei o meu máximo, superando meus limites e com a estrutura que tinha acho que consegui bastante coisa.

 

FTC - Quais as dificuldades da época?

 

CC.-  Acho que sempre foi a questão financeira, mas mesmo com pouco apoio eu sempre busquei superar as dificuldades, para treinar com o mestre Carlos Negrão e outros grandes atletas eu tinha que acordar cedo, pegar ônibus de Campinas para São Paulo na pista, depois encarar 1 hora de viajem, andar 4 kilometros para chegar ao Baby Barione (onde treinávamos), treinar pesado, depois comer uma marmita fria, tomar banho, andar de volta mais 4 kilometros, pegar o ônibus de volta de São Paulo para Campinas, chegava em casa deixava uma mala cheia de roupa suja e já pegava outra para fazer treinar novamente  e ainda ter que dar mais mais  aulas, além de tomar conta da academia, dar aula em outros lugares para conseguir manter meus treinos.

 


FTC - O que foi o taekwondo na sua vida?

 

CC. - O TAEKWONDO foi tudo, sou uma pessoa iluminada por ter conhecido lá atrás esse esporte, muitos dos meus amigos de infância tiveram escolhas erradas se envolvendo com drogas não tendo assim um futuro feliz, quem garante que eu não poderia ter escolhido esse caminho errado, sou de uma família humilde que não tinha nada, hoje tenho minha família, minha academia, minha casa, meus amigos e melhor de tudo tenho respeito e reconhecimento por onde eu passo, sei que tenho uma responsabilidade muito grande, quando dou aula para as crianças e vejo seus olhos brilharem para mim, isso não tem preço!.

 

FTC - conselho para todos os atletas cearenses que um dia querem esta no pódio?

 

CC.-  Acho que todo mundo tem que ter seus objetivos... Sonhar com eles, nunca desistir, demorei 10 anos para ser campeão estadual, depois não parei de vencer mais, enfrentava grande atletas como Milton Iwama, Guilherme Mazoni, se eu tivesse desistido antes não seria o que sou hoje...então não desista do seus objetivos, use as dificuldades como objetivos a serem quebrados, nada é fácil, então faça por merecer que o resultado aparecerá.

Mestre Carlos Costa
5º DAN
19 - 91055364 (Claro)
19 - 78159048 ID 119*91923 (Nextel)

Academia OTC Carlos Costa
Rua Domicio Pacheco e Silva 1344
Jd. Londres - Campinas - SP.
19 - 32272777