Por vaga de Marcio Wenceslau em Londres 2012, COB dá ultimato à Federação Internacional de Taekwondo antes de apelar ao CAS

14/02/2012 23:22


Crédito: Reprodução de vídeo da WFT

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) enviou nesta sexta-feira, dia 10, carta à Federação Internacional de Taekwondo (WTF, na sigla em inglês) na qual dá um ultimato à entidade exigindo a vaga do atleta Marcio Wenceslau nos Jogos Olímpicos Londres 2012. O ultimato do COB se dá em função da negativa da Federação Internacional ao recurso feito pelo Comitê Olímpico Brasileiro à União Pan-americana de Taekwondo, no dia 24 de janeiro. Se a WTF mantiver a decisão o COB entrará, ainda este mês, com recurso no Tribunal Arbitral do Esporte (CAS).

Durante a luta decisiva com o mexicano Damian Villa, no Torneio Qualificatório das Américas, realizado em novembro, no México, Marcio foi prejudicado pela arbitragem pelo menos três vezes quando vencia por 6 a 2 faltando apenas 20 segundos para o término da luta. A três segundos do final, quando Marcio ainda vencia por 6 a 4, o árbitro acusou um golpe na cabeça do brasileiro, quando na verdade o chute desferido pelo mexicano pegou apenas no braço. Com isso, o placar final foi de 7 a 6 para o mexicano. "As imagens gravadas pela própria Federação Internacional são muito claras. O chute não atinge a cabeça do Marcio, o que, consequentemente, manteria a vitória do brasileiro na luta em que se decidia uma vaga olímpica. Sem falar nos outros erros que apontaremos na defesa do Marcio. Demos um prazo até o dia 24 de fevereiro para a Federação Internacional de Taekwondo rever o resultado da luta. Se isso não ocorrer, entraremos imediatamente no Tribunal Arbitral do Esporte para lutar pelo atleta", afirmou o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.

Nesta sexta-feira, Marcio Wenceslau esteve na sede do COB acompanhado do diretor técnico da Confederação Brasileira de Taekwondo, Jadir Fialho, e do supervisor Paulo Rocha. Na reunião com o Departamento Jurídico da entidade, Marcio, Jair e Paulo explicaram a sequência de erros da arbitragem, a fim de abastecer os advogados do COB para uma possível defesa na CAS, na Suíça. "Foram vários erros grosseiros da arbitragem. Acertei a cabeça dele e não ganhei os pontos. Em outro lance, a luta estava parada quando o Damian contornou o árbitro por trás para me golpear. E quem acabou penalizado fui eu. Além disso, fui punido injustamente por ter encurtado a distância, o que é permitido pela regra. Era para eu ter vencido por sete pontos de vantagem, pelo menos", desabafou o atleta. 

Apesar do inconformismo, Marcio continua treinando para Londres 2012 com a confiança de quem conseguirá a vaga. "Esse apoio do COB me estimula ainda mais a manter o mesmo nível de preparação. É bom saber que o COB e a Confederação estão lutando por mim, que não estamos sozinhos. Estou muito confiante de que tudo acabará bem", afirmou.

Os erros de arbitragem apontados pelo atleta Marcio Wenceslau podem ser conferidos por meio das imagens no vídeo abaixo, que será uma das peças do COB na defesa do atleta (de azul).

Fonte: COB